08 julho 2009



"Vontade de encostar a cabeça no ombro de alguém que contasse baixinho uma história qualquer".
[Caio Fernando Abreu]







"O nosso amor não vai parar de rolar,
de fugir e seguir como rio
como uma pedra que divide o rio
me diga coisas bonitas.

O nosso amor não vai olhar para atrás
desencantar nem ser tema de livro
a vida inteira eu quis um verso simples
para transformar o que digo rimas facéis,
calafrios,
fure o dedo faz um pacto comigo
um segundo teu no meu por um segundo mais feliz

O nosso amor não vai olhar para atrás
desencantar nem ser tema de livro
a vida inteira eu quis um verso simples
para transformar o que digo rimas facéis, calafrios,
fure o dedo faz um pacto comigo
um segundo teu no meu por um segundo mais feliz."


2 comentários:

R.Vinicius disse...

Oi Cá.

A vontade espero que seja cessada, que alguém lhe conte uma história ao pé do ouvido. :) Gosto de versos, se acaso soubesse escrevê-los seria poeta.

Abraço,
R.Vinicius

Lucas Lima disse...

ah essa vontade sempre volta intermitentemente, rs
Bons dias